quinta-feira, 5 de julho de 2012

Abre os olhos...



Abre os olhos
Sente a paisagem
Sente a beleza que existe em tudo
Há sempre um rasgo diferente
Há sempre um sonho que se encontra
Há sempre um suspiro que se dá
Deixa-te ficar nessa paisagem
Mesmo que não seja a que idealizas
É...
Seja surpresa ou não
Ama-a com todo o amor que tens no coração
Abraça-a como se fosse a  tua mãe
Sente-te pulsar
Por vibrares na beleza desconhecida
Ama a vida
Porque estás aqui
Sempre aqui
à minha espera
Dentro do meu respiro matinal
A mudança faz-me sentir a esperança
De cada abraço ser um abraço improvisado
Novo sem a magia do vicio
Com a magia do segredo
De mesmo com incerteza amares o medo
Ouve e tapa os ouvidos
Escuta sonante
Que sai fugazmente de dentro de ti
Sons do belo
Do profundo Que tiveste medo de revelar
De assumir
Sabes faz uma pequena coisa:
- Deixa-te ir...
Porque estou aqui à tua espera...
Tenho saudades de te sentir
De te ver sorrir como em criança já o fizeste
Fecha os olhos...
Repara que não existe diferença
Os filtros são nossos...
Os papeis estão gastos...


04 de Julho de 2012 

2 comentários: